Em algum momento se inventou que o dia de trabalho seria de horas continuas, que se dormiria à noite, que a semana seria de 5 dias, que o final de semana seria de descanso, etc.

Claro que nem todo mundo vive assim, mas queria pensar aqui que isto é uma regra que nem sempre combina com a gente, com o nosso corpo, com o tempo da vida.

Lembro quando meus filhos eram bebes, e a recomendação que eu ouvia era: dorme quando eles dormirem. Em geral, não dava certo, porque quando eles dormiam eu ia fazer xixi, tomar banho ou comer, e em seguida eles acordavam de novo.

Mas o que eu queria falar aqui era sobre o tempo da criação, este do cotidiano.

Se tu és artista, precisa criar, e precisa ter tempo pra isto.

Percebe que horário funciona melhor pra ti, inclui na tua vida um tempo diário pra isto, registra teus processos num caderno especial pra isto.

Mas observa como é teu ritmo de criação e respeita isto.

Talvez teu processo criativo seja de grandes picos e vales, talvez seja de ondas sinuosas, talvez tenha muitas pétalas, raízes densas, brilho de estrelas.

A descoberta deste movimento e suas formas vem da observação constante.