Discografia

Luna - 2020

Luna é um álbum de canções sobre tempo, urgência e vertigem onde sonho e realidade se conectam.
Elaborado a partir de um processo experimental, a primeira versão das canções fez parte do projeto #30dias30beats 2020, que reuniu mais de 160 produtores e produtoras do Brasil.
Durante a pandemia, os beats ganharam uma produção orgânica e letras com uma visão poética e reflexiva do cotidiano que se materializam na voz transformada por diferentes efeitos em cada canção.
Luna discute o uso do tempo na era da economia da atenção, e a necessidade de fermentação lenta dos próprios processos artísticos.
Todas as canções foram compostas, produzidas, mixadas e masterizadas por Isabel Nogueira e Luciano Zanatta.
Capa de Clara Trevisan

Escute o álbum aqui

PeleOsso (2019). Álbum Duplo Bel_Medula

‘Pele’ traz as canções de Isabel Nogueira e Luciano Zanatta com arranjos construídos e interpretados pela banda, integrada por Bruno Vargas e João Pedro Ce. Já o disco ‘Osso’, traz uma combinação de beats, sintetizadores e spoken words, compostos e interpretados por Isabel Nogueira, com poesias da compositora e das poetas Daniela Delias e Hilda Hilst.

Escute o álbum aqui

IF I WERE ME (2018) Isabel Nogueira e Linda O Keeffe. Voice, synthesizers, live coding and sound design

Utilizando o texto Se eu fosse eu, de Clarice Lispector, as artistas sonoras Linda O Keeffe e Isabel Nogueira criaram uma peça sonora em quatro movimentos usando vozes, sintetizadores, live coding e gravações de campo onde se misturam suas próprias leituras sobre o assunto proposta pela autora e os relatos dos membros do grupo ECOAR, Grupo de Estudos em Corpo e Arte, da Universidade de São Paulo, Brasil. A peça sonora foi parte da performance Se eu fosse eu, realizada pelo Grupo ECOAR (EACH/USP) em setembro de 2018, coordenada pela coreografa Marilia Velardi.

Escute o álbum aqui

Using the text If I were me, by the Brazilian poet Clarice Lispector, the artists Linda O Keeffe and Isabel Nogueira created a sound piece in four movements using voices, synthesizers, live coding and field recordings where they mix their own visions on the subject proposed by the author and the visions from the members of ECOAR (Research Group in Body and Art Studies), from University of São Paulo, Brazil. The sound piece was part of the performance If I Were Me, by the ECOAR Group (EACH/USP) in September 2018, coordinated by the choreographer Marilia Velardi.

Click here to listen

ZAH (2018) Isabel Nogueira

ISAMA NOKO (2018) Isabel Nogueira y Maia Koenig

Escute o álbum aqui

Hybrid (2017). Isabel Nogueira

Pan y Rosas Records (Chicago).

http://www.panyrosasdiscos.net/

Capa: Luciano Zanatta

Meteoro-phoenix ( 2017)

Isabel Nogueira. Mansarda Records, Porto Alegre

https://archive.org/details/MSRCD075

Capa: Luciano Zanatta

Objetos improváveis (2017)

Isabel Nogueira e Luciano Zanatta. Pan y Rosas Records (Chicago). Capa: Luciano Zanatta.

“everyday objects, including those that usually receive the designation of musical. instruments, are bearers of multiple memories. we seek the sounds that are perceived. more as a side effect than as the purpose of the very constitution of these objects. the performance is an immersive experience rifting between noise and its opposite extreme. experience, silence. our intention is to establish an art of counterinduction, between what in common sense one would want to avoid listening to and what demands effort to listen.”

Légua (2017). Improvisações.

Isabel Nogueira, Luciano Zanatta e Diego Dias. Mansarda Records, Porto Alegre.

Capa: Michel Munhoz.

Escute o álbum aqui

Betamaxers (2017)

Isabel Nogueira e Luciano Zanatta. Chip Musik Records (Peru).

Capa: Luciano Zanatta

Os autores apresentam-se como Edit Post e Save Draft, musikéllogs do fuckturo que escolheram cuidadosamente seus nomes com base nas expressões mais utilizadas pelos terráqueos desta era, a quem chamaram Betamaxers por ter sido esta a tecnologia dominante ali. Os musikéllogs inventaram uma linguagem e desenvolveram sua tese de doutorado (que no futuro terão a dimensão de postagens de rede social) com base em uma criteriosa analise dos vestígios documentais do passado, que, como sempre, fornecem sempre os melhores e mais acurados dados para o entendimento dos fatos.

Escute o álbum aqui

tôk the rror. y sy desde cenpre sosse musikéllogs doo fuckturo ki uzando frogmenthos exparços de registros axaçe pq tá centado incima tha sua prezunta sooperioreedad odd onthológic  q entendeu toodeenho bem serto e subess dus paranauê bem loko que ya desce pra falar k gentchi cem q se notasse? oui si chiamariamonos edit post & save draft! mas komo nada è perfecto, em algum ponto perdemos o stream e ficamos nabera., bem loko it was, acim çeriam akollidos terráquios (lavemealceuleeder), oui lov hórsélphons. parakê poodlessem elxs tinham escojido: (mas quien cares if wada fuk musik no se puede mas di cun força) ainda que ya no se consiga leer, we rave musikéllogs: y cá stamos: catamo todo o bate i: la muerta: betamaxers, rastreaveis “nomore arpeggio pliz”. gengibre hoolls. casas tupperware. fuckturo luquintudepeste.

Click here to listen

 

Mar de tralhas (released in march, 2017)

Isabel Nogueira: Sintetizador, pedais, looper e voz
Luciano Zanatta: Sintetizador, bytebeat, saxofone, pedais, bandolim
Isabel e Luciano fazem parte do Medula – Coletivo de criação sonora nomix()
Gravado ao vivo no Jazz No Hope 14. 10. 2016
Porto Alegre – Brasil

released March 11, 2017
Capa: Luciano Zanatta
Recording and Master: Al Sand

Escute o álbum aqui

Impermanente movimento (2016)

Is a serie of pieces composed with looped voices, celebrating the characteristics of circularity, of a non-hierarchized movement. It’s thought in narrative cuts, like a patchwork, and it plays with the idea of sound-voice mixed with semantic-voice; mixing everyday sounds with deconstructed songs, piano and ‘wavedrum’, all transformed. The singing plays with to be and not to be of noises of the house, the doors, the transformed sounds. From the memorial fragments and from the construction of relation with the three Basque goddesses of matriarchal cosmology (where Mari is the mother-Earth, Eguzki is the daughter-Sun and Ilargi is the daughter -Moon), It brings a musical look from the feminist epistemologies, contrasting with the model of a female falsely consensual, and, finally, highlighting the uniqueness of creation.

The feminist theme was approached from the concepts of artistic research and conception of feminism as an epistemology, developing the look on themes of everyday live, the storytelling and exploring the expressive possibilities of the voice as meaning, processed voice, pitch voice and as a sound event. Based on these premises, each song of the Project combines these elements from different approaches.

Download here

Lusque-Fusque (2015)

Lusque-Fusque is a work of experimental songs developed by Medula Collective (Isabel Nogueira, Luciano Zanatta, Chico Machado, Isadora Nocchi Martins, Ricardo de Carli, Nikkolas Ferranddis. This project includes songwriting, videomaking, and public performances. Electronic Girls Netlabel.
Download here

Vestigios Violeta (2014)

Canções de compositoras e compositores latinoamericanos e brasileiros.

Isabel Nogueira (voz, piano em Gismontiana), Gilberto Oliveira (baixo), Juan Pablo Schellemberg (piano), Davi Covalesky (violão) e Renato Popó (percuteria).

Escute o álbum aqui