“quando sai de lindo, vira belo” – sobre gravações e outras coisas

“quando sai de lindo, vira belo” (Déa Trancoso, aqui: http://www.youtube.com/watch?v=ok7e3iBLF1w
No ultimo sábado terminamos as gravações de voz de vestigios violeta, gravando piano e voz da cançao Gismontiana, de Déa Trancoso, com arranjo para piano do próprio Egberto Gismonti.
Uma emoçao enorme gravar piano e voz desta canção linda, no arranjo deste que é, além de um dos maiores da musica do mundo todo, é o cara que eu escuto e admiro desde sempre. Nao foi por acaso que deixei para o final esta canção. Queria estar treinada na entrega e no aprendizado de humildade que é entrar em um estúdio de gravação. Foram quatro finais de semana com a parceria, a escuta atenta, a excelência técnica, o auxilio luxuoso de Gilberto Oliveira, Gilberto Ribeiro Jr e Lígia Ligia Motta. Um deslumbre, um privilegio, a emoçao da produção do disco, o descobrir da voz a cada dia, o reencontro com o piano. Saber que venho dele e volto para ele, meu primeiro companheiro deste caminho musical. Depois da canções, gravar os belos textos da Monique Revillion e a poesia da Angelica Freitas Freitas. Mais lindezas. Agora, gravando percussao e violao aço do Davi Hackbart Covalesky, trabalhando na design do cd com a obra do Madu Lopes e a criatividade da Denize Barros . Mesmo que a musica da Violeta Parra que escolhi gravar em Vestigios Violeta seja Maldigo del alto cielo (que, como diz o Juan Pablo Gonzalez, é muito mais rock’n’roll), está em todo este processo, muito presente, um profundo “gracias a la vida”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *